Acesso Associados       Contato
 
Notícias

Mais de 300 profissionais participaram da Jornada de Psiquiatria em Londrina

A Jornada Paranaense de Psiquiatria chega a sua décima edição consolidando-se como um dos maiores eventos da especialidade do Estado e ocupando lugar de destaque no cenário sul-brasileiro. Com uma programação ousada e futurística, encabeçada por renomados especialistas em Psiquiatria e Saúde Mental de nível internacional, a Comissão Organizadora e Científica da Jornada, promovida pela Associação Paranaense de Psiquiatria – APPSIQ, demonstrou que é possível realizar eventos de ponta dentro do estado do Paraná. Com mais de 300 profissionais interessados em saúde mental e estudantes de várias cidades paranaenses puderam acompanhar a X Jornada Paranaense de Psiquiatria durante os dias 22 e 23 de setembro, em Londrina (PR).

 

Durante o encontro, conferencistas falaram sobre os temas mais contraditórios e necessários para o dia a dia da prática daqueles que atuam no atendimento de pacientes que sofrem com depressão, transtorno de ansiedade, autismo, TDAH, transtorno alimentar, dependência química e tecnológica e outras doenças mentais. Ao término do evento, o cantor, compositor e autor Lobão participou de um bate papo conduzido pelo presidente eleito da Associação Psiquiátrica da América Latina – APAL, Antônio Geraldo da Silva, e mediado pelo presidente da X Jornada Paranaense de Psiquiatria e vice-presidente da região norte da APPSIQ, Júlio Cesar Nogueira Dutra. Na oportunidade, o artista falou sobre a sua trajetória de vida e a relação com a Psiquiatria, e partilhou ainda histórias de suicídio e depressão que vivenciou na família e com os amigos. Na noite de sábado, Lobão fez um show de encerramento em uma casa noturna da cidade.

 

Marco histórico

 

Para o presidente da X Jornada Paranaense de Psiquiatria, Júlio Dutra, o evento foi um “divisor de águas” e, com ele, a certeza de que novas jornadas virão com qualidade científica e organizacional semelhante ou superior a deste ano. “Estava estampada na face dos participantes a satisfação em participar de um evento de alto padrão e isso, para nós, já é a comprovação de que alcançamos o nosso objetivo: promover uma jornada bem organizada, com uma programação bem diversificada e palestrantes escolhidos do que há de melhor na Psiquiatria nacional”, afirmou. “O feedback que estamos recebendo é muito positivo e nos motiva a proporcionar momentos de atualização científica e, confraternização e troca de experiências cada vez melhores”, concluiu.

 

O atual presidente da APPSIQ, Osmar Ratzke, afirma que a Jornada Paranaense em Londrina abriu uma nova fase da Associação: a ênfase na transmissão científica, a valorização do associativismo e o intercâmbio técnico e social entre os psiquiatras do Paraná. “O evento superou minhas expectativas. Todas as palestras foram muito técnicas e didáticas, mas me impressionou a do cantor Lobão por ter sido um verdadeiro estudo e apresentação de caso, com um final musical e apoteótico”, explicou.

 

Interação multidisciplinar

 

Para a psicóloga Sandra Flores, da Comissão Gestora da Subsede de Londrina do Conselho Regional de Psicologia do Paraná – CRP e que representou a instituição na mesa de abertura do evento, foi uma alegria participar da Jornada. “Estamos unidos para somar conhecimentos na área da saúde e ajudar a sociedade. Incríveis são todos que estavam na coordenação do evento. Parabéns!”, disse.

 

A psicopedagoga Luciene Hervatine conta que, ao questionar-se o motivo que a levava a estar ali, participando de uma Jornada de Psiquiatria, se deu conta de ter a oportunidade de trocar experiências com colegas que também atuam no cuidado de pessoas que sofrem com algum tipo de transtorno mental. “Ouvi profissionais com um altíssimo grau de conhecimento, percebi isso pelas falas, não foram técnicas, mas preocupadas em repassar seus conhecimentos a todos os tipos de profissionais que estavam ali”, afirmou, ressaltando que já participou de eventos na área de educação em que os palestrantes não conseguiram ser tão claros quanto os que se dispuseram a dividir seus conhecimentos durante os dois dias da Jornada. “Parabéns, imagino o quanto de trabalho foi dispensado para a realização de um trabalho do nível que foi este. Desde a escolha dos palestrantes ao pessoal de apoio”, agradeceu. A psicopedagoga disse que gostou muito da mesa redonda com o cantor Lobão. “Foi fantástica. Tinha lido algo sobre as altas habilidades dele, mas vê-lo e ouvi-lo foi maravilhoso”, disse Luciene Hervatine.

 

Para Suzenara Voltolini, pedagoga em Cascavel, estabelecer paralelos históricos foi fundamental para a reconstrução do modelo assistencial. “Quero parabenizar a Associação pela Jornada em Londrina, especialmente pela escolha dos temas. Raízes foram fortalecidas e novas sementes foram plantadas, mas para mim foi um reencontro com o ‘grande navio’ que é a Medicina”, ressaltou.

 

Educação científica

 

“Foi fantástico. Superou todas as expectativas em termos de organização, qualidade das palestras, acolhimento e participação dos inscritos. Isso sem contar no auditório lotado em uma sala ampla e bem localizada dentro de um shopping center – o que é uma coisa inusitada e cômoda, que termina dando conforto para todos. A qualidade foi o grande primor e o grande chamariz do evento, com palestrantes e conferencistas do mais alto gabarito e isso repercutiu em elogios pelos corredores do evento. Estamos todos na expectativa para a Jornada do próximo ano porque a qualidade foi o carro chefe deste ano e quando a gente aprende com qualidade a gente replica com qualidade”, disse o médico psiquiatra, André Brasil, que ministrou a conferência sobre dependência tecnológica durante a Jornada.

 

O médico psiquiatra Carlos Kayamori enumerou como pontos fortes a organização, a cidade escolhida, a mobilidade, o local do evento e os temas escolhidos. “O que mais gosto nestes eventos é o encontro com colegas e amigos e poder trocar conhecimentos, ter a oportunidade de me atualizar e confraternizar com eles”, afirmou.

 

Para Felipe Figueiredo, médico psiquiatra em Maringá e vice presidente da APPSIQ na região noroeste do Estado, foi muito útil poder estar junto com diversos colegas que estão na mesma prática diária, em diversos locais do Estado, pois isso fortalece posicionamentos no dia a dia. Para ele, a palestra do médico psiquiatra e presidente da Associação Latinoamericana de Suicidologia e da Associação Brasileira para o Estudo e Prevenção ao Suicídio, Humberto Correa, sobre suicídio em médicos foi muito boa, pois o conferencista conseguiu fazer um panorama aprofundado e ao mesmo tempo didático de uma temática da qual os psiquiatras não conseguem “escapar de atender” cada dia mais. Ressaltou também a fala do diretor da Associação Psiquiátrica da América Latina – APAL, Antonio Geraldo, sobre as políticas públicas envolvendo o Cannabis, pois incitou muita reflexão da sua parte. “Me marcou muito ver o relato de vida de um grande artista nacional e a forma com que o mesmo soube / procura lidar com acontecimentos da vida dele. Gostei muito do formato, como um bate-papo. Acrescentou bastante do ponto de vista humano, na compreensão do sofrimento dos familiares de pessoas em sofrimento mental”, concluiu.

 

Para o estudante de Medicina de Maringá, Pedro Bregola de Barros, que foi voluntário na logística do evento, a experiência de auxiliar na organização de um evento de abrangência estadual é de grande valia. “O conhecimento científico que o evento me proporciona sobre a minha área de interesse na Medicina associado ao contato com grandes nomes da Psiquiatria do Brasil são os motivos pelos quais me aventuro nesta jornada”, contou.

 

Premiação

 

Foram selecionados dois trabalhos científicos inscritos na Jornada de Psiquiatria deste ano. A médica residente em Psiquiatria pela Clínica Heidelberg em Curitiba, Geovana Carvalho Freitas, foi premiada com o primeiro lugar pelo trabalho intitulado “Aspectos relevantes da associação entre transtorno de humor bipolar e transtorno de personalidade borderline”. A ganhadora receberá um livro e a isenção na taxa de inscrição do XXXV Congresso Brasileiro de Psiquiatria, que vai acontecer de 25 a 28 de outubro de 2017, em São Paulo. Em segundo lugar, a médica Sonia Maria Barbosa Braga com o trabalho “Revolução Psiquiátrica em prol da desestigmação dos tidos como loucos sem o serem” ganhará um livro e a isenção na taxa de inscrição da XI Jornada Paranaense de Psiquiatria, com direito à hospedagem, caso o evento de 2018 seja realizado em localidade em que não reside.

 

Novidade

 

Cerca de 45 médicos e estudantes participaram do curso “Ressonância Magnética na avaliação de Mania e Síndrome Psicótica de origem vascular”. O encontro aconteceu na manhã do dia 22, antecedendo as atividades científicas da X Jornada Paranaense de Psiquiatria. “Foi muito bom ver tantos interessados em psiquiatria secundária”, disse o médico psiquiatra associado à APPSIQ, Paulo André Pera Grabowski, que ministrou o curso. “Foi uma oportunidade única de aprofundar este tema específico dentro de um evento científico”, afirmou o palestrante, que é coordenador do Programa para Diagnóstico Diferencial de Demência Precoce, Mania, Síndromes Psicóticas e Catatonia Recorrente (DPMASP) da Residência Médica em Psiquiatria da Prefeitura de São José dos Pinhais.

Voltar

FEHOSPAR
Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviço de Saúde no Estado do Paraná

R. Augusto Stresser, 600 - Curitiba - PR - CEP: 80030-340
Fone: (41) 3254-1772 - e-mail: fehospar@fehospar.com.br

Copyright Fehospar © Todos os Direito Reservados.

hidea.com

Facebook