Como já é tradição no Encontro de Assessores de Comunicação da Femipa, a sexta edição do evento trouxe mais uma vez um case de sucesso. Dessa vez, a experiência apresentada foi a do departamento de Comunicação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), de Foz do Iguaçu. A jornalista responsável, Débora Black Nascimento, iniciou a palestra contando uma parte da história do hospital, que foi idealizado após o início da construção da usina de Itaipu, já que, pela quantidade de pessoas trabalhando na obra, era necessário um local para cuidar dos doentes. Como os três ambulatórios que foram construídos não foram suficientes, a proposta do hospital ganhou força. Inicialmente, a instituição foi batizada de Hospital Itaipu, para, depois, virar Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

Hoje, o HMCC conta com 202 leitos, 35 leitos de UTI, 400 médicos, 1.100 colaboradores e atende 50 planos de saúde, além da alta complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS), realizando tratamentos nas áreas de Oncologia, Cardiologia, gestação de alto risco e Neonatologia. Nos últimos quatro anos, mais de 250 mil pessoas foram atendidas e mais de dois milhões de atendimentos foram realizados. O SUS englobou 60% dos atendimentos hospitalares.

Com relação ao departamento de Comunicação, a área é responsável pela comunicação interna e assessoria de imprensa, trabalhando a divulgação da imagem, da missão e das ações e objetivos estratégicos do hospital. Uma das produções é o jornal interno “O Costinha”, de circulação bimestral. Dentro das atividades, também estão alimentação do site e da Intranet da entidade; produção de conteúdo para Facebook; edição e auxílio na produção da Revista Científica; produção e sugestão de pauta e atendimento à imprensa; produção de matérias para divulgação interna e externa de atividades do HMCC; auxílio em comissões e comitês da instituição; bem como organização de eventos.

Durante a apresentação, Débora expos algumas das ações realizadas pelo departamento e que tiveram boa repercussão. Um exemplo foi a publicação de uma história de superação de um paciente com câncer, que alcançou mais de 84 mil pessoas e teve mais de 23 mil envolvimentos. A jornalista também citou o programa Gestão por Competências; a pesquisa de clima organizacional; a campanha para doação de fraldas; a corrida em prol da instituição etc.

Sobre os números, Débora destacou alguns números de 2018: 206 notícias ou sugestões de pautas produzidas; 75 notícias cobertas pela imprensa televisiva ou de rádio, 130 notícias publicadas em sites em geral e 46 matérias publicadas em jornais impressos, o que totaliza 256 inserções sobre o hospital na mídia. Mas para que esses resultados sejam possíveis, a jornalista garantiu que o departamento de Comunicação precisa de engajamento.

“A equipe de comunicação não consegue realizar todas as ações sozinha, pois precisa ser ‘alimentada’ de informações internas dos departamentos e divisões. Os hospitais têm muita informação para serem repassadas. Só precisamos conversar com os setores para entender o que está sendo feito e de que forma podemos mostrar aquilo à imprensa e à população. Basta buscar que os outros setores nos alimentem”, ressaltou.

E para treinar os colaboradores quanto ao que era permitido com relação à Comunicação, Débora contou que foi necessário estabelecer algumas rotinas, tanto internas, quanto externas. “Não bastava a comunicação saber o que pode ou não ser dito, se os colaboradores não estivessem envolvidos no processo. Fizemos algumas palestras, apresentando as obrigações de cada um, as proibições, os cuidados que devem ser tomados e alguns temas pontuais, como o caso do jogador Neymar, em que uma enfermeira tirou foto dele no hospital depois da fratura na Copa do Mundo de 2014 e acabou sendo demitida; criamos manuais sobre isso, e todo esse trabalho tem dado muito certo”, salientou.

Debora finalizou a palestra dizendo que é importante que as instituições tenham consciência que precisam tomar cuidado com o que é falado e também com a forma que as coisas são comunicadas, pois cada um pode interpretar de um jeito. “Sabemos que a nossa função demanda muito trabalho, mas ver que nossas ações fazem a diferença na vida das pessoas e do hospital é extremamente gratificante. Me sinto muito satisfeita pelo trabalho realizado até aqui”, completou.

Oficina

Para atualizar os profissionais de Comunicação quanto à gramática e relembrar as principais regras da língua portuguesa, o Encontro de Assessores trouxe Ana Paula Mira, jornalista, consultora e professora da Universidade Positivo. Durante a oficina, os participantes puderam aprender novos conceitos e também tirar dúvidas para garantir mais qualidade aos textos.